Terça, 27 de Outubro de 2020 14:44
94 99140 1505
Polícia Meio Ambiente

Operação Netuno apreende madeira e amplia comunicação entre as bases no Marajó

Agentes de vários órgãos estaduais e federais também recuperaram objetos roubados, cumpriram mandados de prisão e coibiram crimes ambientais

12/09/2020 08h25
Por: Redação Fonte: Agência Pará
Os agentes apreenderam 2,3 mil metros cúbicos de madeira em tora, o equivalente a mais de 100 campos de futebol
Os agentes apreenderam 2,3 mil metros cúbicos de madeira em tora, o equivalente a mais de 100 campos de futebol

Fiscalizar, cumprir mandados de prisão, prevenir o roubo de cargas e passageiros. Essas foram algumas das ações realizadas por órgãos de segurança pública e de fiscalização, envolvendo as esferas estadual e federal, durante a Operação Netuno, realizada de 2 a 10 de setembro. O objetivo foi enfrentar os crimes em áreas fluviais nos municípios de Curralinho, Breves e Gurupá, no Arquipélago do Marajó. Um efetivo de 100 servidores percorreu por mais de 190 horas os rios da região.A integração de forças de segurança e fiscalização resultou em uma série de ações de enfrentamento à criminalidadeFoto: Ascom / Segup

Fizeram parte da operação, coordenada pela Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), policiais militares e civis, agentes do Grupamento Fluvial (GFlu) e do Grupamento Aéreo (Graesp), vinculados à Segup, e equipes da Companhia Fluvial da PM, Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), Secretaria da Fazenda (Sefa), Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Receita Federal, Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e Polícia Federal.Um efetivo de 100 agentes de vários órgãos estaduais e federais percorreu durante oito dias os rios do MarajóFoto: Ascom / Segup

Para o titular da Segup, Ualame Machado, a integração entre as forças de segurança e as condições dadas aos agentes contribuíram para o êxito da operação. "A Operação Netuno é o resultado não só de uma integração dos agentes de segurança pública do Estado do Pará, como também da integração com as forças federais, a exemplo do ICMBio, Anatel e Receita Federal. Nós atuamos em três bases, na cidade de Curralinho; em Antônio Lemos, no município de Breves, e próximo a Gurupá, para que a gente pudesse agir realmente de forma  integrada e estratégica em toda a região do Marajó, onde ocorrem, geralmente, os crimes. Nós tivemos várias ações exitosas, entre elas a prisão e apreensão de produtos que haviam sido roubados dias antes no município de Bagre, apreensão de madeira, uma motocicleta recuperada que havia sido roubada em Marituba, além de outras diligências, oitivas, instrução de Inquérito e medidas administrativas, além da fiscalização da Anatel, por exemplo, e de outros órgãos que atuaram nesse período", informou Ualame Machado.Sem documentação de extração, 250 metros cúbicos de areia foram apreendidosFoto: Ascom Segup

Apreensão de madeira – Durante os oito dias de trabalho houve apreensão de 250 metros cúbicos de areia sem qualquer documentação que comprovasse a extração do material. Os agentes apreenderam, também, 2.374 metros cúbicos de madeira em tora e 62 metros cúbicos de madeira serrada. As espécies são Virola, utilizada na confecção de cabo de vassouras, e Cuaruba, transformada em tábua, caibro e pernamanca.Mais de 60 metros cúbicos de madeira serrada também foram apreendidos na Operação NetunoFoto: Ascom / Segup

A quantidade do material apreendido corresponde a mais de 100 campos de futebol. Seriam necessários 25 anos para que uma floresta, com esse volume apreendido, atingisse o ponto de corte. Ainda foram apreendidos 3.400 litros de gasolina.Grupamento Fluvial em ação durante a fiscalização pelos rios do MarajóFoto: Ascom Segup

Comunicação - Por meio da Diretoria de Informática e Telecomunicações (Ditel), vinculada à Segup, foi possível instalar radiocomunicadores nas três bases e gerar a comunicação entre elas. Em uma região de largos rios e de difícil acesso a sinais de telefonia móvel, a comunicação dos agentes não foi prejudicada.

As antenas foram instaladas no furo do Tajapuru, em Breves, próximo ao distrito de Antônio Lemos; no furo do Ituquara, perto de Gurupá; no furo de Santa Maria e na base da Sefa, às proximidades de Curralinho.

O sistema de radiocomunicação foi implantado em cada embarcação - como navio, EAT e lancha -, integrando não apenas os órgãos de segurança, mas também as instituições de fiscalização. Os rádios se comunicaram a uma distância de até 123 quilômetros.

"Nós tivemos, ainda, inovações ao uso de internet e de radiocomunicação. Todo o prolongamento dessas três bases se comunica entre si, o que é primordial nessa região do Marajó para que a gente possa ter sucesso nas missões. Nós conseguimos comunicação via rádio e internet, o que possibilitou a realização dos procedimentos feitos diretamente das embarcações, por meio do sistema implantado pelo setor de informática da Segup", destacou o secretário Ualame Machado.

Para o diretor do Grupamento Fluvial, delegado Arthur Braga, o diferencial dessa operação é a comunicação. “O fato de haver a conexão entre as três bases, apesar de estarem situadas em lugares remotos, possibilitou a plena comunicação e interação das agências presentes nos diferentes municípios, otimizando informações e ações. Todos os procedimentos foram feitos nas bases fluviais sem necessidade de locomoção para os centros urbanos, economizando recursos, tempo e preservando os agentes. Cães farejadores e agentes da Anatel também fortaleceram as ações, em conjunto com as demais agências, além do poder logístico, de presença e mobilidade do Graesp encurtando distâncias e dando maior poder de ação”, acrescentou.O macaco do gênero Alouatta resgatado do cativeiro durante a opeaçãoFoto: Ascom Segup

Material recuperado - Durante a Operação Netuno houve, ainda, o cumprimento de cinco mandados de prisão e instauração de 15 procedimentos criminais, e apreendida uma porção de maconha. Onze animais silvestres encontrados em cativeiros foram libertados, entre eles um macaco do gênero Alouatta. Quatro espingardas foram retiradas de circulação e sete pessoas foram presas, uma delas em flagrante, por manter uma rádio clandestina na cidade de Curralinho.

Uma lancha com giroflex, que estava sendo utilizada em roubos na região, também foi recuperada. Um roubo ocorrido recentemente no município de Bagre, no qual criminosos se passavam por policiais para praticar assaltos, foi elucidado. Armas e aparelhos celulares, além de objetos roubados, foram recuperados na casa dos pais dos suspeitos, que confirmaram o crime cometido pelos filhos.

Uma motocicleta que havia sido roubada em Marituba, na Região Metropolitana de Belém, foi encontrada durante vistoria em um ferryboat. Um motor de embarcação também foi recuperado.

Em uma vila localizada no Igarapé Baiano, braço do Rio Jaburu dos Alegres, um morador foi autuado pela equipe do ICMBIo por realizar a venda de terra de propriedade da União, na Unidade de Conservação RBS Itatupa-Baquia.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias